Economia circular para mitigação da fome e da miséria é tema de seminário que aconteceu na Câmara Municipal de São Paulo

23 de agosto de 2021

Por iniciativa das vereadoras Cris Monteiro e Janaína Lima, a Câmara Municipal de São Paulo realizou o seminário online “Perspectivas para a Compostagem de Resíduos Sólidos Urbanos no município de São Paulo: Economia Circular para Mitigação da Fome e da Miséria”.

O sistema atual de alimentos tem servido a uma população em rápido crescimento e impulsionado o desenvolvimento econômico e a urbanização. Ainda assim, esses ganhos de produtividade vieram a um custo e o modelo não é mais adequado para atender as necessidades de longo prazo. Transitar para uma economia circular dos alimentos apresenta enormes benefícios econômicos, ambientais e de saúde.

A economia circular é definida como todas as atividades que visam reduzir, reutilizar e reciclar materiais em toda a cadeia de valor dos produtos. Estudos projetam que até 2050, 80% dos alimentos serão consumidos em grandes centros e é urgente criar processos para que os resíduos orgânicos retornem ao ambiente natural de maneira que não continuemos degradando o meio ambiente com o descarte incorreto. Além disso, o atual problema se tornará solução, na medida em que a compostagem gerará insumos para a produção orgânica de alimentos.

“As políticas de Economia Circular e Alimentar cobrem toda a cadeia de valor, desde a colheita até a entrega, incentiva a alimentação saudável nas escolas, tratamento de resíduos sólidos e o combate ao desperdício”, lembrou Marta Suplicy, secretária municipal de Relações Internacionais, presente no seminário.

A compostagem é ainda uma importante contribuição para a mitigação das mudanças climáticas, uma vez que os resíduos não compostados geram nos aterros gás metano, um dos principais causadores do efeito estufa. Dados do relatório ”Cidades e Economia Circular dos Alimentos”, da Fundação Ellen Macarthur, revelam que a cidade de São Paulo é uma das maiores produtoras de resíduos orgânicos do mundo: cerca de 5,7 mil toneladas de resíduos domésticos poderiam ser compostados por dia na capital. Entretanto, atualmente esse é o destino de apenas 0,3% do material.

Os dados do relatório de 2019 demonstram que uma economia circular para a cidade de São Paulo poderia gerar uma economia de US$ 14 milhões. Os benefícios da saúde gerariam em torno de US$ 67 milhões, os benefícios da saúde de solo US$ 25 milhões e, no meio ambiente, cerca de 342 mil toneladas de emissões de CO2 seriam evitadas.

“Recentemente eu visitei um centro de compostagem da Prefeitura, no bairro da Lapa. Fiquei lá por horas e percebi a maravilha que é a utilização das folhas, das sementes e das frutas que não foram consumidas. Eu trouxe composto orgânico para a minha casa. Coloquei no meu jardim. Foi uma alegria enorme entender e compreender como esse esquema de reaproveitamento circula”, disse a vereadora Cris Monteiro.

“A solução está em nossas mãos. Que possamos todos ampliar essas iniciativas. Nós (Prefeitura) estamos muito comprometidos com a reciclagem, inclusive ampliando o cooperativismo na cidade de São Paulo. Que possamos estar mais juntos nessas ações, nesta parceria entre o Executivo e o Legislativo. A cidade só ganha com isso”, comentou Aline Cardoso, secretária municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho.

Palestra Magna

As “Perspectivas para a Compostagem de Resíduos Sólidos Urbanos” foi o tema da palestra apresentada por Ulisses Laureano Bianchini, superintendente de Gestão de Resíduos da secretaria municipal de Meio Ambiente de Florianópolis, Santa Catarina.

O engenheiro sanitarista e ambiental, que acumula experiência de 15 anos em licenciamento ambiental e gestão ambiental e de nove anos em gestão de resíduos sólidos, trouxe os resultados do projeto Floripa Lixo Zero e as experiências da gestão dos resíduos. “A gente quer chegar em nossa agenda de 2030 com o projeto lixo zero implantado em toda a cidade de Florianópolis”, salientou Ulisses.

Mesas de debates

Ainda durante o seminário, três temas foram discutidos por diversos especialistas:

-Compostagem de Resíduos Sólidos Urbanos – Cases de Sucesso nas Empresas;

-Compostagem de Resíduos Sólidos Urbanos – Políticas Públicas;

-Compostagem de Resíduos Sólidos Urbanos – Sociedade Civil.

Para conferir a íntegra dos debates e todas as participações do seminário sobre Economia Circular, clique aqui.

Receba nossas

novidades por

email

    Siga a Cris nas redes:

    © 2021 Cris Monteiro. Todos os direitos reservados.