QUAL CAMINHO VOCÊ FAZ DA SUA CASA ATÉ O SEU TRABALHO?

23 de junho de 2021

Já parou para pensar como você faz para se movimentar pela cidade? Você precisa planejar qual caminho fazer para evitar determinadas situações indesejadas, como assaltos, estupros e assédios sexuais na rua?

Eu garanto que a maioria das paulistanas planeja o caminho que terá que fazer e até a roupa que usará para não passar por nenhuma situação desconfortável.

E como é esse caminho? Ele é em ziguezague. Para se locomover pelas ruas mal iluminadas, vandalizadas, com entulhos irregulares e tomada pela violência, as mulheres para irem de um ponto a outro mudam seu trajeto, independente se terão que andar mais, ou se será mais demorado. Mesmo que para chegar no local que precisa, por exemplo, na porta da faculdade, seja um caminho simples, ele pode ser perigoso demais, fazendo com que ela tenha que desviar a rota.

Há ainda, aquelas que optam por não fazer o trajeto a pé, e ir de carro, ou transporte particular, tudo para não ter que passar na frente daquele boteco, onde ela sempre é assediada pelos homens que ficam bebendo por lá.

Além dessas questões que devem ser corrigidas, através de políticas públicas de excelência, como melhoria no monitoramento e segurança, garantia de uma zeladoria urbana digna, calçadas acessíveis e sinalização, há outras questões um pouco mais complicadas, como o papel da mulher na sociedade e sua função como dona de casa.

Mulheres são as principais responsáveis pelo supermercado, educação das crianças, saúde da família, entre outras coisas, ou seja, no trajeto do seu trabalho até a casa, ela primeiro passa no supermercado, depois busca os filhos na escola, vai na farmácia e aí sim, chega em casa.

Imagina ter que ziguezaguear pela cidade para fazer o que precisa e ainda ter que se preocupar com qual rua vai passar para não sofrer um assédio?

Receba nossas

novidades por

email

    Siga a Cris nas redes:

    © 2021 Cris Monteiro. Todos os direitos reservados.